O Gamer no Brasil

O METAVERSO NOS GAMES

Conheça os principais insights do Metaverso através da PGB 2022

03/05/2022
Compartilhe

Se existe um termo que ganhou uma grande relevância e busca nos últimos tempos, sem dúvidas foi o tão famoso "metaverso". Já chegamos a falar sobre o que é o metaverso em outro momento mostrando como esse tipo de experiência está conectado ao mundo dos games há um certo tempo.

Com a nova edição da Pesquisa Game Brasil 2022, decidimos entender como o metaverso é visto pelos jogadores de jogos digitais no Brasil e quais são as oportunidades que existem para a indústria de games e para as diversas marcas cada vez mais presentes, já que esse é um tipo de experiência que pode ser customizada de uma maneira interessante para ambas as partes.

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR OU PARTICIPOU DE ALGUM METAVERSO?

Primeiramente, notamos que o termo é relevante para o público de games, onde 63,8% já ouviram falar sobre o assunto mas 80,4% nunca participaram de um ambiente metaverso.

Aqui é possível notar que o termo ou a forma em como funciona ainda não está tão claro para o público de games, por mais que jogos como Fortnite, Roblox, Minecraft e vários outros possuem características dessa experiência e é exatamente sobre isso que o metaverso é formado: imersão, socialização, customização e personalização.

Mas é interessante analisar que a participação do público que se considera gamer é maior, onde 28,5% já participou de experiências em metaverso, ou seja, um público mais conectado com o estilo de vida e consumo gamer tem uma tendência maior com relação a esse tipo de proposta de ambientes e jogos.

Reprodução: Dados exclusivos da 9ª edição da PGB 2022 - Metaverso

OS EVENTOS SOCIAIS EM GAMES

Hoje existem diversas ações de entretenimento conectadas com o mundo dos games, como cinema, shows, eventos esportivos e vários outros. Mas como tudo isso funciona dentro de um jogo? Sim, existem algumas ações e jogos preparados com esse tipo de recurso. Um ótimo exemplo é o Fortnite que virou uma grande plataforma de shows, incluindo o cenário brasileiro com o recente show do Emicida.

Aqui vale ressaltar que estar presente nesses ambientes ou jogos podem fazer muito sentido para aquele público e isso não inviabiliza as pessoas de irem nos shows ou irem ao cinema, mas sim aumentar o alcance e engajamento que esse público vai ter através dessas ações. Isso fica ainda mais claro quando temos 54,4% dos jogadores que gostam da ideia de participar de shows de música nos games.

emicida-no-fortnite
Reprodução: Evento Onda Sonora com show do Emicida dentro do Fortnite

A EXPERIÊNCIA EM REALIDADE VIRTUAL

Nesse ponto analisamos três comportamentos e que todos estão relacionados de certa forma com equipamentos e acessórios de realidade virtual e estamos falando de diversão, trabalho e educação.

Fica claro nesse ponto que muitas pessoas concordam e gostam da ideia de atividades direcionadas para esses tres pilares, mas ainda é algo distante do ponto de vista de acesso. Isso acontece principalmente pelo fato de muitas pessoas nem possuírem esse tipo de acessório, 70,9% não tem equipamento de realidade virtual, algo que acompanhamos em outras edições da PGB e que tem espaço para muitas oportunidades.

Reprodução: Dados exclusivos da 9ª edição da PGB 2022 - Realidade Virtual

AS PROPRIEDADES DIGITAIS NO UNIVERSO DE GAMES

Hoje vivemos em uma época que as propriedades digitais tem um valor importante para muitas pessoas, e isso não é diferente no mundo dos games. Ter algo no mundo digital dos games pode representar muita coisa, seja uma skin da marca ou personagem favorito, um item especial que se torna um colecionável ou até mesmo uma casa, sim, estamos falando de empreendimentos.

Nesse ponto temos muitas discussões e até polemicas mas destaco um dos mais relevantes, onde 43,6% das pessoas concordam que um objeto digital tem o mesmo valor de um objeto físico, e isso nos leva a acreditar que comprar um tênis, boné, óculos ou qualquer acessório no metaverso pode ser tão efetivo quanto na vida real. Um dos motivos para a indústria de moda e acessórios estar cada vez mais presente para esse público.

balenciaga-fortnite
Reprodução: Itens da marca Balenciaga dentro do jogo Fortnite.

AS MARCAS NO METAVERSO

E não podíamos deixar de falar das marcas, já que metaverso é sobre experiência e no último ano tivemos diversos projetos, campanhas e marcas que criaram experiências muito boas para o público de games.

Tudo isso criam novas expectativas que esse público tem e o que ele espera das marcas daqui para frente. Deixo aqui dois insights importantes: 48,9% das pessoas concordam em se aproximam de marcas nesses ambientes digitais e 46,8% gostam de se envolver com marcas presentes e que atuem no metaverso e isso inclui o mundo dos games.

Se existe um espaço em que o público tem potencial de relacionamento e experiência com marcas, talvez aqui seja o caminho já que 52,7% concordam que o sucesso de uma marca no futuro é estar presente no metaverso. Por fim, nossa dash especial com alguns highlights do Metaverso.

PGB 2022 - 9ª edição - Metaverso
PGB 2022 - 9ª edição - Metaverso

POR ONDE COMEÇAR NO METAVERSO?

Gostou desse conteúdo e quer saber mais? Acesse nosso site pesquisagamebrasil.com.br e entre em contato. Através desses dados é possível criar diversas customizações e segmentações para conectar seus produtos e serviços com o público consumidor de jogos digitais no Brasil. #GG

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.