Barbie nos Games: O histórico da boneca nos games

Saiba mais sobre essa personagem icônica.
25/07/2023
POR
Thayná Soares
COMPARTILHE:
O que você vai ver neste artigo:

Barbie Girl in a Barbie World! Popular há sete décadas, a boneca mais famosa do mundo deixa um legado que extrapola os limites da caixinha de papelão.

Enquanto o filme estoura nas redes e nas bilheterias mundiais (já são mais de 335 milhões de dólares), sua presença de longa data no audiovisual comprova que a brincadeira não termina na boneca de plástico – e nem nas telas de cinema.

Você já viu a Barbie nas prateleiras das lojas de brinquedo, nas araras das lojas de vestimentas e até nas guloseimas de franquias alimentícias. E isso eu digo com toda a certeza: aqueles que não acompanharam a trajetória cor-de-rosa durante a infância não tiveram escapatória nessas últimas semanas.

Apesar do filme com a incrível Margot Robbie ter expandido seu marketing para a realidade virtual dos jogos eletrônicos (com ativações e eventos especiais), essa não é a primeira vez que um certo público vê a boneca na tela de um celular, computador ou na frente do joystick.
Barbie sempre combinou com videogames e eu posso provar! Sobe aqui no meu Barbie Jeep que eu vou te levar em uma mini-tour através do histórico de jogos da boneca pop star.

Imagem de jogo da Barbie em Flash

Qual foi o primeiro videogame da Barbie?

Antes de chegar ao famoso (e falecido) site de jogos Barbie.com, a Mattel já vinha promovendo experiências gamers para um público majoritariamente feminino no fim da época de 90.

O primeiro de todos, Barbie™ para Commodore 64, foi lançado em 1984 como um jogo de estratégia com um estilo 8 bits. Até 1994, 4 outros jogos também surgiram no mercado, mas nenhum deles fez a mesma movimentação do que este que vem a seguir.

Com mais de 1 milhão de cópias vendidas, Barbie Fashion Designer foi desenvolvido pela Digital Domain e publicado pela Mattel Media para Microsoft Windows e Mac OS em 1996, traduzindo a experiência tátil da boneca para o universo digital.

Nasce, então, um jogo de vestir.

A gameplay era simples, básica e direto ao ponto. O verdadeiro diferencial entrava na parte criativa, onde os jogadores eram instruídos a criarem seus próprios designs com uma variedade de temas, estampas, cores, acessórios e até penteados para um makeover completo.

Todas as criações também ficavam disponíveis para impressão, levando o jogo de volta para a boneca de verdade. Uma jogada inteligente, levando em consideração o ciclo criado nessa troca do virtual para o real e vice e versa.

Não à toa, alguns dizem que foi depois da era Barbie Fashion Designer que as grandes empresas de jogos e profissionais de marketing perceberam que havia lucro a ser conquistado com os chamados “jogos para meninas”.

Barbie sentada na casa da Barbie em escritório de brinquedo com objetos e decoração em tons de rosa

Aprendizados para o mercado inteiro

Onde há público no mundo real, há público para o digital. A Mattel contornou o risco do desinteresse ao conectar ambos através da jogabilidade que transcendia as telas através das impressões.

Barbie Fashion Designer é considerado até hoje o primeiro “jogo para meninas” distribuído para o mercado de massa. Seu sucesso foi tanto que outros CD-ROMS das mais variadas “categorias” começaram a pipocar nas prateleiras logo nos anos seguintes, incluindo uma sequência ao original.

Alguns nomes famosos da “franquia Barbie nos

games” são:

  • Barbie Cool Looks Fashion Designer (1997) [um Barbie Fashion Designer com novas roupas]
  • Barbie Jewerly Designer (1998) [design de jóias]
  • Barbie Riding Club (1998) [corrida de cavalos]
  • Barbie Digital Makeover (1999) [maquiagem]
  • Barbie Sticker Designer (1999) [design de adesivos]
  • Barbie Generation Girl Gotta Groove (1999) [dança]
  • Barbie Nail Designer (1999) [design de unhas]

O boom de quase 4 anos não só trouxe mais do que 7 novos jogos para o mercado como levou a Mattel a mergulhar a fundo no mundo dos games com sua própria desenvolvedora, a Mattel Media/Interactive.
Um feito reconhecido nos dias de hoje: em maio de 2023, Barbie Fashion Designer entrou para o World Video Game Hall of Fame junto a nomes como The Last of Us, Computer Space e Wii Sports.

Exemplares de bonecas da Barbie enfileirados em prateleira

Barbie em: O primeiro contato do universo gamer

Para algumas garotas, os jogos eletrônicos da Barbie foram o primeiro contato com o restante do que hoje conhecemos como universo gamer.

É claro que hoje nós sabemos melhor do que classificar qualquer game como exclusivo para um gênero específico, mas a época de 90 a 2000 ainda circulava dentro dessa separação.

Por isso, no início da infância vinha a boneca. Então, quando começamos a alcançar o mouse e o teclado, o ambiente virtual se apresentou tomado pela presença dela com CDs especiais e, finalmente, sites repletos de experiências.

Barbie Fashion Designer, assim como seus sucessores, promoveu uma saída prática para as fãs assíduas que sonhavam em personalizar suas próprias Barbies – mas também mostrou os primeiros indícios da versatilidade da marca.

As mais variadas plataformas

Os anos 2000 mal haviam começado quando a Mattel atacou novamente: dessa vez, com um website cheio dos mais variados jogos para aproveitar a onda da recém chegada banda larga (ainda que no Brasil a internet discada fosse a grande realidade).

Jogos de vestir, de cuidar, de decorar, e até os mais clássicos como quebra-cabeças e memória fizeram a infância de muita gente em uma época onde os primeiros jogos online surgiam com timidez.
Não demorou muito para que o computador se tornasse uma plataforma ainda mais popular devido a variedade do CD à própria internet.

pessoa segurando com a ponta dos dedos uma bandeja que leva em cima um par de sandálias de plataforma de brinquedo

A Mattel nunca se contentou apenas com uma única forma de jogar. PlayStation 2, Xbox 360 e Nintendo DS foram outras plataformas que receberam a Barbie nos games de “joysticks” abertos.

Em 2006, o jogo Barbie in the 12 Dancing Princesses desenvolvido pela então Activision levou o 9º filme da boneca para o mundo virtual.

E por falar em filmes, nem a televisão passou batido: alguns DVDs vinham com jogos exclusivos que podiam ser acessados no saudoso menu principal, ou até DVDs próprios para games, como foi o caso de Barbie: Fairytopia (2007).

Baseado na história do filme, o jogo acompanhava uma boneca especial cujo sensor funcionava como controle de movimentação para a própria Barbie nos games. Eu mesma tenho a boneca até hoje.

E no celular? As apostas mais recentes da Barbie nos games marcam presença no Mobile com Barbie Fashion Closet, oferecido pela própria Mattel, e Barbie Dreamhouse Adventures e Visual Mágico da Barbie, ambas pelo Budge Studios.

Marketing do filme Barbie e principais ativações

Depois dessa explosão cor-de-rosa entre os anos 90 até o fim dos anos 2000, a presença da Barbie nos games deu uma leve esfriada – principalmente em comparação ao número elevado de games produzidos nesse período.

Um momento de respiro para a nova explosão que viria logo a seguir.

O filme de 2023 dirigido por Greta Gerwig e protagonizado por Margot Robbie reaqueceu o marketing da Mattel e levou a boneca mais popular do mundo para outros universos – inclusive o do jogo mais popular do mundo na atualidade.

Começa com Candy e termina com Crush.

Barbie x Candy Crush

Ação promocional do jogo Candy Crush com a Barbie

Seguindo o plot do filme, essa parceria com o quebra-cabeças de match 3 trouxe a seguinte história: “Barbie chegou ao nosso Reino do Doce, jogue agora para ajudá-la a chegar ao mundo real”.

O evento especial durou entre os dias 13 e 23 de julho, onde Barbie e seus amigos fizeram um desvio pelo Reino Candy Crush para celebrar o filme. Os jogadores que participaram das “Barbie Quests” foram recompensados com acesso exclusivo a vídeos dos bastidores do filme e outros mimos de edição limitada.

Silvia Toma, artista de jogos sênior da King (empresa desenvolvedora do jogo), aponta a versatilidade e a diversão da marca Candy Crush como duas características fortes para a união desses dois mundos.

Barbie x Forza Horizon 5

Ação de marketing do game Forza Horizon 5 com a Barbie representada pela pintura rosa em um dos carros do jogo

Não só de doces vive uma Barbie nos games. Em seu lado need for speed, a boneca também marcou presença no jogo de corrida Forza Horizon 5 com dois modelos exclusivos para aproveitar a divulgação do filme.

A partir de 26 de junho, todos os jogadores receberam o icônico Chevrolet Corvette EV 1956 da Barbie e a picape Ken 2022 GMC HUMMER EV na central de mensagens do jogo.

Outras ativações foram um concurso de UGC com o tema aventuras da Barbie e um convite a compartilhamento de conteúdo BARBIE nas redes sociais com a hashtag #FH5BarbieMovie valendo um pacote de prêmios in-game.

Ação de marketing do jogo Forza Horizon 5 em torno da Barbie com detalhes da boneca na pintura do carro

Barbie x Xbox

ação da Microsoft Xbox em torno do tema Barbie nos games com a casa da Barbie rodeada por controles de Xbox em tons predominantemente rosa

E por fim, mas não menos importante, as várias ações que a Microsoft fez com a nossa boneca favorita.

Os hardwares do Xbox receberam novas personalizações para ir de acordo com o hype do momento, seguindo o padrão rosa e até uma estante de display que imita a casa da Barbie.

Um console Xbox One da edição limitada também foi sorteado, assim como outros 10 bonecos com customizações de roupas da marca Xbox.

Estamos todos Barbieficados por aqui, apesar de não trocarmos o verde do GG pelo rosa! E é depois desse banho de nostalgia que eu deixo vocês para ir comprar meu ingresso antes que ele esgote de novo.

Bye, Barbie! Bye, Ken! 👋

Siga nossas redes sociais:

POSTS RELACIONADOS
04/12/2023
Cultura data driven: Porque considerar o mercado de games na tomada de decisões
27/11/2023
Gamificação: O guia completo com tudo o que você precisa saber