Gamificação na Educação: O que é e como pode ser aplicada na aprendizagem

07/08/2023
POR
Thayná Soares
COMPARTILHE:
O que você vai ver neste artigo:

Educar é uma arte que exige responsabilidade a cada etapa. Do fundamento à prática e do engajamento com diversas faixas etárias, seguir um modelo comprovado torna-se a chave do aprendizado de sucesso. Neste caso, o aliado é a Gamificação na Educação.

Enquanto explicações teóricas servem de apoio, jogos dinamizam o progresso do conhecimento com base na interatividade. Por um lado, os ensinamentos se solidificam graças aos testes lúdicos que atuam como reforço.

Por outro, os alunos absorvem informações enquanto se divertem, criando um vínculo maior com o tema proposto.

Esse benefício por si só já parece bem interessante, não? Continue a leitura do artigo e descubra outras vantagens, contextos e exemplos na prática de como o game design atua no contexto educacional!

grupo de crianças montando blocos de montar sorrindo e aprendendo com gamificação na educação

O que é Gamificação na Educação?

A gamificação na educação é uma ferramenta que aumenta o envolvimento e a dinâmica do ensino utilizando elementos pertinentes a jogos no processo de aprendizagem. Dentro dessa metodologia, textos e explicações técnicas tornam-se atividades lúdicas que viabilizam a absorção do conteúdo com mecânicas de pontuação, storytelling, feedback ativo e até recompensas a cada evolução.

Uma análise envolvendo dezesseis pesquisas publicadas entre 2011-2019 indicou que, quando a gamificação é utilizada na educação (incluindo elementos-chave de game design como colaboração, storytelling e feedback), um impacto positivo é visto no envolvimento do aluno

Em outras palavras, enquanto muitas instituições de ensino lidam com o desinteresse educacional, a gamificação na educação apresenta-se como uma solução de potencial comprovado.

Da mesma forma, a Pesquisa Game Brasil, a mais ampla pesquisa sobre jogos realizada no Brasil, oferece percepções valiosas sobre o mercado de games no país. Além disso, considera como a gamificação na educação é uma ferramenta que pode aumentar o envolvimento e a dinâmica do ensino. Neste contexto, é interessante explorar como a PGB também pode fornecer dados sobre a aplicação da gamificação na educação, seus resultados e como as tendências nos jogos podem influenciar a aprendizagem.

Resta conhecer as principais mecânicas dentro desse objetivo:

Elementos essenciais da Gamificação na prática

Os jogos, e em particular os videogames, estão em uma crescente constante de popularidade entre pessoas de todas as idades. Hoje, eles se tornaram uma das principais formas de entretenimento em nossa sociedade.

O potencial é tanto que outras modalidades vêm acoplando suas técnicas e padrões dentro do próprio âmbito.

Alguns educadores podem ver a gamificação na educação como uma forma de engajar os alunos e fazer com que eles se interessem pelo aprendizado. Baseado nesse interesse educacional, os principais elementos do game design são:

Desafios e Objetivos

Todo jogo possui desafios e objetivos simples pelo caminho até o grande objetivo final. A forma como desenvolvemos esses fatores dentro do game design tende a ser mais lúdica e didática, intercalando texto e mini-jogos em medidas iguais.

Aqui, temos como ferramenta o storytelling, ou seja, a arte interativa de usar palavras e ações para revelar elementos de uma história. Dentro do conceito da gamificação, ele transforma o “tecnicismo” de um material de estudos em uma literatura voltada para a dinâmica dos jogos.

O storytelling é bastante reconhecido como uma técnica que, ao ser bem trabalhada, prende a atenção e o interesse do público envolvido.

Progresso e Interatividade

Conforme o aluno progride, informações e descobertas são angariadas por meio de conteúdo interativo e mini-jogos.

Tanto o acompanhamento do progresso quanto a sensação de evolução ocorrem graças à interação gerada pelos jogos que o aluno encontra pelo caminho. A cada nova dinâmica finalizada, pontuações acompanham seus avanços até o fim da experiência.

O progresso só é feito através da interação – um estímulo a mais para que acompanhem o jogo até o fim.

Recompensas

Ponto alto na geração de motivação, o mecanismo de recompensas do game design junta o progresso obtido em cada desafio superado com a premiação pela disposição de aprendizado.

Ao incentivar os alunos com recompensas, cria-se uma forte conexão com a motivação externa, ou seja, aquela que ocorre por estímulos de fora. Quanto mais esse estímulo for trabalhado, maiores as chances da motivação interna (relacionada à iniciativa do próprio aluno) se tornar uma constante no aprendizado.

Personalização de Atividades

Jogos vêm em todas as formas e gêneros, e isso não seria diferente na gamificação.

Do quebra-cabeça ao caça palavras e da simulação ao bom e velho arcade, os jogos utilizados em projetos de gamificação na educação podem variar de acordo com as necessidades do público e com os objetivos do conteúdo proposto.

Ao trabalhar com uma empresa especializada como a Go Gamers, por exemplo, uma avaliação minuciosa é feita para que as melhores atividades sejam propostas.

O importante dessa grande variedade é compreender o que cada jogo proporciona, o que o conteúdo oferece de maleabilidade e o que cada público gosta de jogar.

Feedbacks

Assim como jogos digitais oferecem telas de feedback a cada conclusão de nível, o game design da gamificação também conta com retornos ativos.

Em plataformas digitais, alunos e/ou usuários podem ser impactados por feedbacks a cada evolução dentro da trilha de aprendizado, proporcionando transparência no que se trata de acompanhamento de desenvolvimento e impulsionando o progresso com telas de incentivo.

Ao todo, as características de jogo que correspondem a estratégia motivacional na educação incluem o uso da fantasia, controle imersivo, regras objetivas, missões interativas, resolução de problemas, apresentação multimodal, resultados e feedback.

Ou seja: todos os principais elementos citados até então!

jovens em mesa de reunião com livros e cadernos abertos e uma mulher apontando para um tablet

Benefícios da Gamificação no Processo de Ensino e Aprendizagem

Os benefícios dos jogos educacionais já são amplamente divulgados. Enquanto estamos ativamente envolvidos em um jogo, nosso cérebro experimenta uma mistura de emoções positivas que reage a cada estímulo do storytelling.

Esse “gatilho emocional” compreende o interesse despertado no progresso de uma história – neste caso, de uma trilha gamificada –, onde o avanço dentro do ambiente (seja ele virtual ou não) se faz necessário para que tais emoções se repitam.

Entre elas, destacamos o entusiasmo de conhecer e compreender novos sistemas, conceitos e perspectivas. O mesmo tipo de resposta que ocorre ao interagirmos com demais jogos digitais.

Além disso, outros grandes benefícios da gamificação na educação são:

Captação de Interesse dos Alunos

Jogos podem aumentar o foco e a motivação dos alunos, além de proporcionar uma liberdade maior de aprendizado via exploração, interação, e tentativa e erro.

Isso além de fugir do cotidiano mais teórico – aquele baseado em testes simples sem estímulos externos.

Desenvolvimento de Habilidades e Competências

A gamificação na educação pode ser usada por educadores para apoiar os alunos no desenvolvimento de habilidades.

Enquanto aprende sobre um novo tema, o aluno inserido em uma dinâmica de jogos também trabalha outros fatores como: interpretação, pensamento estratégico, memória e até habilidades sociais quando o jogo envolve cooperação.

tabuleiro com peças de jogos de tabuleiro, dados e uma ampulheta

O game design oferece ferramentas próprias para uma aprendizagem ativa e prática.

Graças à flexibilidade do storytelling (afinal, existem diversas formas de contar histórias), um conteúdo ou tema pode ser gamificado de diversas maneiras. O resultado é sempre dinâmico e didático, além de diferenciar as atividades propostas dentro (e fora) da sala de aula.

Aliás, não é só a construção do jogo e as mecânicas que podem ser trabalhadas de forma personalizada. A gamificação na educação pode ser utilizada em diversas plataformas, sejam elas:

  • Virtuais (aplicativos, websites, ebooks, entre outros);
  • Ou presenciais (tabuleiros, jogos de mesa, livros, entre outros).

A forma que elas são apresentadas (individualmente ou em grupo) também pode ser personalizada para cada público-alvo.

Estímulo da Criatividade

Lembra-se de quando citamos a liberdade como ponto alto da gamificação na educação? O aluno ou usuário que interage com a dinâmica dos jogos está sendo exposto a vários estímulos simultaneamente.

Das informações presentes no storytelling às ilustrações e seus respectivos significados, o público jogador aprende a se expressar em diferentes mídias e a canalizar sua criatividade de maneira saudável e livre de julgamentos.

Sem falar que dedicar tempo para jogar pode alimentar a imaginação. Isso porque os jogos ensinam os usuários a se comprometerem com um projeto, a pensar fora da caixa, e a manter o foco no resultado.

menina com óculos de realidade aumentada segurando livro aberto com as duas mãos com o fundo de uma biblioteca representando a gamificação na educação

Exemplos de aplicação da Gamificação na Educação

A gamificação tem se popularizado tanto que muitas vezes interagimos com ela sem nem perceber.

Com a expansão do digital e a normalização do uso de plataformas online na educação, é natural que o lúdico se “camufle” com a rotina do dia a dia. O verdadeiro interesse surge nas melhores maneiras de utilizá-lo a seu favor.

Plataformas Educativas

Um grande exemplo de gamificação na educação é o Duolingo. Com um aplicativo 100% gamificado, a coruja verde leciona mais de 500 milhões de pessoas pelo mundo todo e segue sendo o principal app no ramo do ensino de idiomas.

Algumas das técnicas utilizadas são:

  • Trilha visual
    • Usuários conseguem acompanhar seu progresso dentro de um “caminho” desenhado dentro do app.
  • Storytelling
    • Histórias e diálogos são muito utilizados dentro do processo de aprendizagem.
  • Feedback
    • A coruja parabeniza o usuário por seus acertos ou o motiva para que não desista apesar dos erros.
  • Pontuação e Recompensa
    • O usuário ganha pontos que podem ser gastos em itens dentro do próprio app.
    • O usuário que utiliza o app todos os dias desbloqueia troféus especiais.
  • Competitividade
    • O app estimula a competição entre seus usuários através da comparação de pontuações denominadas XP em ligas que também sinalizam evolução.
ícone de duas pessoas, uma mulher e um homem, jovens dentro ícone vermelho

Enquanto isso, na Go Gamers

Grande parte dos projetos realizados pela GG utilizam plataformas online (como o Ludos) na elaboração de um game design interativo.

Após analisar cada caso (do conteúdo ao público-alvo), criamos a ideia central do storytelling e o desdobramos em atividades, mecânicas e detalhes pertinentes à plataforma escolhida, seja ela digital ou não.

Já falamos um pouco sobre o processo da gamificação nas empresas, mas quando o assunto é gamificação na educação, prezamos principalmente na construção do conteúdo de ensino em um formato de entretenimento que ainda seja bastante didático.

Em um projeto especial montado para o banco Santander, a Go Gamers utilizou a gamificação para incentivar os participantes a vencerem desafios de conhecimento, cultura, empreendedorismo e inglês, onde as melhores pontuações conquistaram bolsas de estudos no exterior.

Gamificação na Educação como ferramenta de inclusão

Como aprendemos hoje, o processo da gamificação incorpora mecânicas de jogo como recompensas e pontuações para aumentar o engajamento, desencadear respostas emocionais positivas e melhorar a experiência de aprendizado.

A aplicação profissional dessas técnicas em atividades de diversidade e inclusão produz resultados promissores que vão da liberdade da experiência no âmbito individual ao incentivo da interação em grupo.

Aqueles que participam das atividades do game design vão de ouvintes passivos a estudantes ativos – um dos principais benefícios ao se tratar das tentativas de inclusão em sala de aula.

Além disso, muitos jogos são projetados pensando na autonomia do jogador, permitindo que indivíduos e grupos tracem seu próprio caminho ao longo da experiência, definindo seu próprio ritmo e seus próprios objetivos dentro do aprendizado.

 Como Implementar a Gamificação na Sala de Aula

Enquanto empresas como a Go Gamers fornecem toda a estrutura e os recursos para que a gamificação na educação alcance todo seu potencial, outros pontos aprendidos neste artigo podem ser considerados ao levar o game design às instituições de ensino.

Ao organizar uma dinâmica, os seguintes pontos fazem toda a diferença:

  • Os alunos podem selecionar um avatar para representá-los durante o jogo;
  • Pontos e/ou recompensas por cada resposta certa;
  • Os alunos podem avançar dentro de um mapa interativo de progresso (trilha);
  • Ícones e/ou imagens acompanham esses avanços, podendo reagir positivamente a respostas corretas;
  • E, é claro, a possibilidade de oferecer premiações em resposta ao envolvimento e a disposição de persistir através de desafios independentemente dos erros que acontecem pelo caminho.
pessoa digitando em laptop com ícones relacionados a gamificação na educação em 3D

Se interessou pelo tema e quer conhecer mais sobre o processo? Entre em contato com nossos especialistas de gamificação e descubra ainda mais benefícios e exemplos de sucesso!

Nos vemos no próximo blog post 😉🎮

Siga nossas redes sociais:

POSTS RELACIONADOS
04/12/2023
Cultura data driven: Porque considerar o mercado de games na tomada de decisões
27/11/2023
Gamificação: O guia completo com tudo o que você precisa saber